MATERNIDADE PUERPÉRIO REDE DE APOIO

A visita que recebi

19 de outubro de 2018

Eu preciso confessar que conheci uma pessoa amarga, sem paciência, triste e negativa. E tive que conviver com ela por longos dias. Essa pessoa apareceu em casa justamente quando o bebê chegou. Uns cinco dias depois do nascimento, passada a euforia misturada com medo, ela se fez convidada e ficou aqui até o fim do segundo mês de vida da Raquel.

A Carla, no puerpério, não era eu. Pelo menos não da forma como me reconheço há 34 anos. Uma avalanche de sentimentos relacionados a incapacidade tomou conta de mim. Me vi submersa numa “rotina” de mamadas, fraldas, choros, tentativas de sonecas que pareciam não ter fim. A sensação é de que nada ia melhorar, NUNCA. Eu, sempre ativa e apaixonada por uma lista de tarefas concluída, me vi paralisada e sem reação diante dos cuidados com o bebê.

O puerpério me pegou de jeito onde sou mais fraca: na minha autoestima. Há muitos anos li um livro bem famoso chamado “As cinco linguagens do amor” no qual o autor descreve a maneira pela qual cada um de nós se sente amado. A minha linguagem de amor é ‘Palavras de Afirmação’, ou seja, eu preciso de encorajamento e elogios (olha o problema de autoestima aí). E bebês não afirmam ou elogiam nada, certo? Raquel não diz: “obrigada mamãe, por trocar minha fralda, você faz isso muito bem!” Mas eu tive que dizer, em nome dela, isso várias vezes em voz alta, pois eu precisava acreditar que estava fazendo um “good job” cuidando da minha filha. Eu precisava acreditar que era boa e capaz disso. E ainda preciso.

Ainda preciso acreditar (apesar dos elogios recorrentes do marido) que o corpo novo é bonito, apesar de diferente; que parar e me dedicar à maternidade, deixando a carreira em segundo plano, é importante e valioso; que o sorriso da Quelzinha depois de uma mamada  é o elogio mais sincero e completo que posso receber.

A visita ingrata do puerpério já se foi, mas deixou um presente que ainda preciso desembrulhar: a Carla mãe!

 

Carla Vaz de Lima, nutricionista, mãe da Raquel de 5meses

No Comments

    Leave a Reply