ESPECIALISTAS MATERNIDADE NUTRIÇĀO SAÚDE

Alimentaçāo da gestante – Terceiro trimestre

1 de junho de 2018

Expectativa x realidade

Lembro que a primeira coisa que decidi na hora que peguei o beta positivo foi: eu vou passar os próximos nove meses sem um grama de açúcar! Primeira “pagada de língua”, diga-se de passagem.

Me alimentar bem na gestação foi mais desafiador do que eu imaginava. Os artigos de nutrição materno infantil ficavam rodando na minha cabeça.

Os doces com certeza foram o ponto mais difícil. Eu confesso, comi pelo menos um docinho diariamente nas últimas 39 semanas.

Teve uma fase que eu não conseguia olhar pra salada, outra em que beber água era um desafio, e os dias do pão de sal (ahhhh o temido pão de sal)? Ele com manteiga e café era tudo que eu queria.

O meu ganho de peso durante todo o tempo foi adequado; me mantive ativa fazendo Pilates e musculação e meus exames estiverem sempre exemplares.  A hidratação ficou na casa dos 3 litros por dia. Inchei muito pouco, mas mesmo assim fiz drenagem desde o 7° mês.

Suplementei vitamina D, ácido fólico, ferro, ômega 3 e, durante 60 dias, magnésio (estava com alguns sintomas de carência que sumiram após a reposição).

Agora na reta final eu cheguei a uma conclusão: apesar de algumas escolhas erradas (e da culpa que sempre as acompanha) o fato de os meus bons hábitos alimentares já estarem estabelecidos antes da gestação tornou esse processo mais simples e saudável. Percebi que o melhor momento para investir em educação nutricional é quando ainda se é tentante e que realmente faz TODA a diferença!

E que culpa faz parte maternidade, mesmo antes do bebê nascer.

 

Carla Vaz de Lima, 33 anos, mãe da Raquel (recém nascida). Nutricionista especialista em Educaçāo Nutricional.

You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply