BEBÊ MATERNIDADE

Amava o frio… até ter filho!

19 de setembro de 2018

Você ama o frio? Acha que as pessoas ficam mais bonitas, bem arrumadas? Pois é, eu também amava… até ficar grávida e ter um bebê.

Minha filha nasceu em Setembro, início da primavera, clima ameno para quente… pensando que moramos em Ribeirão Preto (Hellbeirão Preto), clima quente para infernal… aprendemos a conviver controlando a temperatura do ar condicionado junto ao umidificador.

Porém, vivemos de um clima desértico no inverno, que não dura muito, mas tem ao menos um ou dois meses dependendo do ano e, para uma mãe, são meses que se parecem com anos e noites que mais se parecem com dias inteiros.

Quando bebê mesmo, sofremos em não poder cobrir, porque vai que a criança rola e se sufoca com as cobertas, aí ficamos coloca roupa, tira roupa, porque você vai lá e a criança está ensopada, então está com calor… coloca a mão no rostinho, nas mãos ou pés e estão frios, então coloca mais roupas… e passamos dias, ou melhor, noites até conseguirmos estabelecer uma roupa adequada.

Nessa idade em questão, minha melhor solução foi forrar o berço com um cobertor (ou edredom) quentinho, agasalhar bem o peito (uma camisetinha ou body por baixo), colocar meia ou um macacão com pezinho.

Aí vamos pra fase que a criança anda e vai pra cama sozinha (talvez), próxima dos dois anos de idade, e brinca, e pula antes de dormir e, se você coloca muitas roupas ela já vai pra cama ensopada, mas também não dorme coberta.

Qual foi a nossa solução aqui? Bem… minha casa, ou melhor, apartamento é bem frio, frio mesmo, dentro do quarto da minha filha, nos dias em que a temperatura externa chegou aos 9 graus, o dela chegou aos 22 graus. Você pode pensar… mas 22 graus é bem agradável, mas não é. Durante a madrugada é bem frio, mesmo para um adulto. Eu não sou friorenta e preciso de um pijama leve mais um edredom ou coberta. Para minha filha, coloco um cobertor do lado da parede, para meio que vedar o frio da parede, e nela, já que vai se descobrir a noite, coloco dois pijamas. Sim dois! Um mais fininho e ajustadinho ao corpo, que eu chamo de “linguicinha” e outro meio moletom, mais larguinho e sem ser flanelado, por cima e, percebo que ela acorda quentinha e dorme a noite toda. Acredito que o faça porque não passa frio nem calor.

E eu? Durmo a noite toda? Na verdade não sei o que é isso há exatos 4 anos. Por que? Porque virei mãe, e mães são assim mesmo, acordam pra ver se o filho está respirando (e juro, acontece), acordam pra ver se está com frio ou com calor, se o nariz está entupido… e no inverno, acordam mil e duzentas vezes pra cobrir a cria!

Fernanda Paganini, formada em Química e Pedagogia, é a mãe da Maria Luiza (Malu) de 4 anos. Divide seu tempo entre as aulas no ensino médio e os cuidados com a filha.

You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply