AMAMENTAÇĀO DOR ESPECIALISTAS PARTO PUERPÉRIO REDE DE APOIO

Mitos da Amamentação: conheça alguns dos que mais atrapalham esse processo.

1 de agosto de 2018

Muitas são as dúvidas em relação a este tema afinal, no pós-parto nos deparamos com diversas abordagens equivocadas que envolvem crenças e práticas não mais recomendadas. Sabemos o quanto uma informação inadequada pode impactar no sucesso de todo o processo de aleitamento. Atualmente, graças a evolução dos estudos e práticas modernas, podemos contar com redes de apoio à amamentação que inibem parcialmente os problemas mais comuns.
Mas, vamos falar um pouquinho sobre quais são os mitos mais famosos?

O mito 1: “O meu leite é fraco”

fonte: google

Não existe leite fraco, o leite de cada mãe é apropriado para o seu bebê, tenha ele nascido a termo (no tempo certo) ou pré-termo (prematuro). O que mais ocorre é a falta de confiança da mulher em relação a sua produção ser suficiente ou não para o bebê. Ao menor sinal de produção insuficiente, a mulher é cercada pela sociedade que julga e discrimina o ato de amamentar, como se a mulher fosse totalmente contra os conceitos mais atuais. Este conceito atual diz respeito a suplementação de leite, o qual é utilizado abundantemente sem discriminação. Na grande maioria dos casos a pega e posicionamento inadequados influenciam na demanda do bebê por mamadas mais frequentes para se satisfazer, situação essa que pode ser avaliada e corrigida rapidamente por um profissional de amamentação.

 

O mito 2: “Dá um chazinho, ele está com sede”

Bebê que é amamentado não precisa de água ou chá. Os chás foram introduzidos há muito tempo atrás com a justificativa de acalmar o bebê, as cólicas e tratar doenças. Embora alguns estudos mostrem que é frequente o uso de chá, a introdução vem diminuindo à medida que as pessoas obtém mais informação sobre a importância do aleitamento materno. Diante disso, tudo que o bebê precisa para ser hidratado é do leite materno ou da suplementação caso seja necessário, de acordo com cada caso.

 

O mito 3: “O uso de bicos/chupetas não interfere na amamentação”

Estudos mais atualizados sobre esse tema mostram o impacto do uso de bicos artificiais na duração da amamentação exclusiva. O uso da chupeta é um dos mais determinantes para que esse processo ocorra ainda mais rápido. Não há duvidas que os bicos interferem na duração da amamentação, mas ainda não é bem claro para as mães o quanto isso pode trazer prejuízos. A maioria das mães que introduzem a chupeta, estão em dúvida quanto a sua produção de leite estar ou não adequada a demanda do bebê, não é incomum que choros excessivos sejam interpretados como fome, mesmo que ele esteja crescendo saudavelmente. Na maioria das vezes, o desejo de conforto, carinho e segurança do bebê são desconsiderados e confundidos com a fome.

 

O mito 4: “Amamentar é fácil”

Um grande mito. Amamentar não é tão instintivo quanto parece e nem tão prazeroso como se merece. Amamentar é acima de tudo paciência e resiliência, a cada novo dia novas descobertas, algumas perdas, mas também conquistas. A privação de sono é um dos maiores vilões, ela nos traz remete sensações muito embaraçadas e confusas, muitas vezes sem paciência e perseverança. É por isso que sempre frisamos a importância de se estudar sobre o tema, participar de cursos de gestantes e se preparar para o momento que pode ser leve, mas também pode ser bem pesado. A questão não é só física, como um mamilo fissurado ou a apojadura mal manejada, a questão é emocional e transcendental.

 

O mito 5: “Amamentar dói”

Não dói se tudo estiver correto, se a pega e o posicionamento estiverem adequados. A dor é um sinal de alarme do nosso organismo avisando que há algo de errado com aquele processo. Não digo que seja fácil descobrir o que está errado, mas posso afirmar que existe algo de errado. Algumas mulheres têm maior sensibilidade na região dos mamilos e isso faz com que nas primeiras semanas ela sofra um pouquinho com isso, mas não é comum a dor seguida de fissuras e diversos outros problemas que vão surgindo. Procure sempre ajuda ao menor sinal de dor, uma boa avaliação vai ajudar.

São vários os mitos que assombram as mães durante a amamentação. É preciso muito apoio e discernimento para separar aquilo que se ouve de bom e de ruim das pessoas mais próximas. O maior conselho que posso dar como profissional e mãe é: Procure ajuda antes e após o nascimento do seu bebê!

Eu juro que não é propaganda enganosa, juro que você não vai se arrepender, mas não posso garantir que será como você sonhou, apenas posso garantir que o que temos de atual e real para ajudar, será feito. A amamentação vai muito além do bebê sugar o seio, é um processo por vezes doloroso na alma. Procure ajuda e ofereça aquilo que tem de mais precioso para o seu bebê: o leite materno. Lembrando que para algumas mães que sonham em amamentar e não podem o fazer por alguns motivos, o apoio deve ser ainda maior.

Uyara Januzzi, 34 anos, mãe da Júlia e do Miguel, enfermeira obstetra que ama os filhos mais que tudo nesse mundo.

No Comments

    Leave a Reply