BEBÊ CARREIRA MAMÃES REAIS MATERNIDADE

Qual é o real desafio?

4 de julho de 2018

Em condições normais, vivemos entre os extremos, longe de nossos limites – como a mola em repouso. Mas, quando a coisa pega, nossos esforços são estendidos até o limite – aí somos a mola esticada.

 

Sob pressão, outros de nossos limites são testados – e a mola nos lembra o imenso potencial que possuímos.

 

Quando me tornei mãe, me senti como a mola esticada. Ela foi esticada de um jeito muito intenso, mostrando que eu tenho um potencial gigante.

 

Eu sempre fui bem ativa profissionalmente, e já passei por muitos desafios na profissão . Antes de ser mãe, eu acreditava que já tinha sofrido todo o tipo de pressão: chefes insuportáveis, colegas de trabalho que me humilharam consideravelmente, tarefas que pareciam ser impossíveis de serem realizadas, muitos sapos engolidos, e outras coisas como passar fome, frio e sede no trabalho (sim, já passei por estas coisas).

 

Quando me tornei mãe, eu me senti uma boba ao olhar pro passado e acreditar que eu tinha desafios nessa vida.

 

Tudo que eu vivi, ficou super ameno, comparado com a minha atual vivência .

 

Hoje, tenho o maior desafio do mundo: criar um cidadão, uma pessoa bacana, de caráter honesto. Um homem gentil, educado, fortalecido moralmente, que ame os animais, que seja trabalhador como o pai dele é, que ajude a pessoa que ele encontrar nesta vida e que seja parceiro de verdade.

 

Hoje, eu percebo que este é o real desafio. Este é sem sombra de dúvidas minha maior missão, e essa missão tem muito peso.

 

E por toda a bagagem que eu tive em minha vida, eu me sinto honestamente preparada para doar meus ensinamentos para meu filho. E me sinto muito privilegiada por isso.

 

Ser mãe está sendo um excelente exercício pra mim. Nunca, em toda a minha vida me senti tão realizada e completa. Os mais belos reconhecimentos que já tive, os prêmios que recebi, os diplomas que conquistei, as metas que eu bati, que eram impossíveis de se atingir, naaaaaada disso é tão bacana quanto ter o meu pequininho aqui comigo.

 

Hoje eu vivo muito mais cansada do que antes, é verdade…

 

E eu era uma tonta, vivia achando que estava cansada, e aos domingos eu vivia “morrendo da cama pro sofá, do sofá pra cozinha”, me lamentando que o final de semana estava acabando. Ahhhhh, eu era tão bobinha. Hoje, eu sei o que é estar cansada, sei o que é querer realmente a minha cama quentinha, mas não poder, pois só posso tudo isso depois que eu atendo a todas as demandas do baby.

 

Mas, é algo que eu simplesmente amo!

 

E não troco minha vida atual, por nada neste planeta.

 

Sei que em breve terei todos os meus dias inteiros pra mim, e vou sentir saudade desta fase cansativa.

 

Mara Sartori Badin

38 anos, publicitária, mãe do Samuel, e tem vivido os melhores anos de sua vida.

You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply