BEBÊ

Quem tem medo do lobo mau, lobo mau, lobo mau?

31 de dezembro de 2018

Eu não sei os filhos de vocês, mas, aqui em casa apelidamos a Ana Clara de ‘Indiana Jones’. Mentira genteeeee! Acabei de inventar isso para fazer jus ao que vou contar. O fato é que a Ana Clara não tem medo de nada. Absolutamente nada! Aí você logo pensa: “Aláaaa a mãe se gabando, dizendo que a filha não tem medo de nada”. Amigos, a verdade é esta. Deal with it! (‘Lidem com isto!’ – tradução literal)

Mentiraaaaa! Recentemente encontrei algo que a Ana Clara tem medo: do Papai Noel. E fiquei absurdamente feliz. “Como assim Fabiana? Que horror! Você não deveria deixá-la acreditar que o Papai Noel é um homem malvado?” Primeiramente, eu não deveria nem deixar que ela acredite no Papai Noel já que ele nem existe, né mores? Eu deveria sim dizer: “Filha, sai dessa! Esse maluco aí nem existe! Trata-se de uma convenção capitalista para arrancar dinheiro do famigerado povo deste mundo consumista e bla bla bla”.

Pensando bem, deixa ela ter medo do Papai Noel mesmo e vamos comprar os presentes vai! Hahahahahaha. Brincadeiras à parte, Ana Clara adora quando digo: “olha filha, um bicho!” Ela logo se vira na direção em que apontei e diz: “Xovê!” (‘Deixa eu ver’ – tradução literal). Entendam que o ‘deixa eu ver’ de uma criança é ‘olhar, por a mão e, invariavelmente, na boca’. Com os anos, a ordem muda (ou não) mas, a dinâmica segue.

Certa vez, o pai da Ana Clara ‘caçou’ com ela alguns (cinco) besouros e os colocou em um pote plástico transparente. Ela conseguia ver os besouros através do pote. Ao final do dia, ele não jogou os besouros fora, ele os manteve no pote. A noite foi ‘daquele jeito’ e Ana Clara acordou logo cedo (para mim, madrugada). Ela foi direto ao encontro do pote de besouros e começou a brincar. Eu me deitei no chão (leia-se ‘mortaaaaaaaaaaaaa com farofa’) e dava aquelas cochiladas de leve; aquelas em que continuamos ouvindo o som do ambiente mas parece que estamos no ‘limbo’; o som parece cada vez mais distante e quase ouvimos Jesus dizendo: “vem, pode vir, estou te esperando”. Sabe essas cochiladas?

Pois bem, Ana Clara resolveu abrir o pote com os besouros. Dois estavam mortos e três permaneciam vivos. Ela decidiu (não me perguntem o porquê) que deveria pegá-los com a concha de plástico de um dos brinquedos dela. Ela tirava os besouros do pote e perguntava para as bonecas se elas queriam comê-los; assim: “Qué? Papá? Abre o bocãooooo!” Trata-se de uma versão: “Quer papar Ana Clara? Vamos lá, abre o bocão!”, dita pela mãe (no caso, eu mesma hahahaha).

Só sei que, em determinado momento, Ana Clara esbarrou no pote de besouros e eles, invariavelmente, caíram no chão, no meu cabelo e entre as pernas da Ana Clara. Eu, no limbo, nem sabia o que estava acontecendo até que ouvi, ao longe, uma voz dizendo: “Mamãe, o bicho…” De pronto fui arrancada dos braços de Jéeeesus para me deparar com um besouro morto no meu cabelo, um andando pelo chão quase na minha cara, outro em uma concha plástica e outros dois na fralda da Ana Clara. Eu? Quase surteiiiiii! Ana Clara? Olhava os besouros placidamente, como se fosse uma cena cotidiana. Faltou pouco me pedir um chá e biscoitos!

Por isso, eu insisto em não desmentir o Papai Noel. Aqui em casa ele é perigoso! Não que eu fique dizendo: “Viu só como o Papai Noel é malvado? Só dá presentes para as crianças rrryyyykkkaaasss!” Não cheguei neste extremo ainda. O que tenho feito, na verdade, é dizer quando ela entra no banheiro da área de serviço e fecha a porta: “Vai ficar aí?” Nenhum piu! “Tá bom, só queria te dizer que o Papai Noel vai aparecer aí!” Minha amiga, a porta abre que abre correndo!

Já sei que vai dizer que eu não deveria fazer isso. Pode parar aí mesmo! Vou continuar fazendo. Até porque eu sei que isto não vai longe. Logo ela descobre que  o nosso clima não permite um Papai Noel vestido assim e que renas morreriam em Hellbeirão Preto! Sendo assim, seguiremos a saga do ‘quem tem medo do lobo mau, lobo mau, lobo mau?’ na versão atualizada ‘quem tem medo do Papai Noel, Papai Noel, Papai Noel?’

Apesar de tudo, ela se mantém firme quando vai ao shopping e afirma: “Qué vê o Papai Noel”. Basta chegar próximo ao ‘bom velhinho’ que Ana Clara encosta a cabeça no meu ombro e pede ‘pepeta’ (chupeta). Claro sinal de quem quer disfarçar o medo com o bom e velho truque do ‘estou cansada, quero dormir’ hahahahahaha.

“Cuidado Ana Clara! O Papai Noel está aí no banheiro hein!”

#MeJulguem

 

Fabiana Paganini de Andrade, 36 anos, mãe da BBUrsa que tem um pouco de medo do Papai Noel.

You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply