AMAMENTAÇĀO BEBÊ CARREIRA FIV - FERTILIZAÇĀO IN VITRO GESTAÇĀO MAMÃES REAIS MATERNIDADE PUERPÉRIO REDE DE APOIO SAÚDE

Quem sou eu?

13 de maio de 2018

Quem sou eu?

Olá eu sou a Uyara!

Vou contar um pouquinho da minha trajetória pessoal e profissional.

Desde pequena sempre me identifiquei com a área da saúde, mas nunca fui bem compreendida pela minha família, em especial pela minha mãe. Sim, aquela de quem eu tanto esperava por um apoio. Hoje entendo porque ela não me apoiava. Ela gostaria que eu fosse uma profissional bem sucedida financeiramente e, de fato, a enfermagem jamais me traria esse sucesso.

Meu primeiro trabalho foi aos 11 anos como babá. Eu não sabia trocar sequer uma fralda, mas confiaram em mim para passear com a bebê de carrinho. Lembro-me de receber 10,00 para executar tal função. Fiquei nesse emprego por aproximadamente 1 ano. Desde então comecei a trabalhar no comércio nos finais de ano e depois efetivamente todos os dias numa loja de roupas da cunhada da minha irmã. Eu namorei desde os meus 13 anos, imaginei que minha vida então deveria ser a de mulher casada, com filhos e cuidando da família.

Após 3 anos, tive a oportunidade de trabalhar no comércio central. Trabalhei em mais duas lojas de roupas até chegar em uma ótica, onde tive realmente a oportunidade de trabalhar registrada e com alguns benefícios e perspectivas que antes não eram reais. Ainda estava namorando. Quando completei 18 anos minha vida virou de cabeça pra baixo e veio a primeira decisão errada, me casar. Realmente achei que não iria ter a oportunidade de estudar, afinal, sempre ouvi da minha mãe que não haveria condições financeiras de pagar uma faculdade.

Após concretizar esse sonho que não era meu (de casar), eu decidi sair do meu emprego para me dedicar a casa e, com isso, fui muito infeliz e fiz alguém infeliz também. Depois de um ano, surgiu a oportunidade de fazer um curso de Técnico em Enfermagem e então meu companheiro “deixou” que eu fizesse. Foi só o início, eu transbordava em mim. Fiquei no curso por 6 meses e então veio a oportunidade de fazer a tão sonhada faculdade. Voltei a trabalhar no mesmo emprego que havia abandonado. Assumi meu papel de mulher e estudante e abandonei meu casamento.

Novamente estava eu de volta para a casa dos meus pais, estudando e mudando a minha vida de verdade. Eu nunca gostei de monotonia, minha vida precisava estar em movimento. “Mas como fazer a faculdade e trabalhar? Você não vai conseguir!” Ouvia essas e outras palavras sempre da minha mãe. Foi muito difícil, mas hoje eu entendo e procuro dar lugar às palavras que ouço hoje. “Nossa filha, que bom que você conseguiu! Filha você é uma excelente profissional!”

Após longos 6 meses eu consegui uma bolsa do governo chamada de “Escola da Família”, que consistia em trabalhar aos sábados e domingos para pagar a faculdade com desconto de 50% do governo e 50% da faculdade. Meus projetos desenvolvidos eram voltados para cursos de gestantes. Nesse período de 5 anos da faculdade foram muitos os acontecimentos: me formei em 2007, logo depois comecei a trabalhar no resgate de vítimas de acidente na rodovia e foi aí que surgiu minha primeira especialização em ‘Urgência e Emergência no Atendimento Pré Hospitalar’.

Casei-me em 2008. Em 2010, iniciei minha tão sonhada especialização em Obstetrícia, mas, logo depois tive que trancar por conta da gravidez gemelar. Foi uma gravidez muito sonhada e desejada. Tive dois descolamentos de placenta e fiquei 6 meses de repouso absoluto. Só levantava para fazer xixi e tomar banho. Com 7 meses de gestação eles nasceram e transformaram minha vida e minha rotina.

Quando retornei ao trabalho já havia passado 11 meses de afastamento, contando a gestação e o período de licença maternidade. Começamos um projeto chamado ‘Melhor Parto’ pelo hospital no qual eu trabalhava. Foi um projeto que alavancou minha vida profissional e me trouxe o reconhecimento e satisfação que eu tanto almejei.

Foram 4 anos exclusivamente dedicados ao projeto que mudou a realidade da obstetrícia brasileira e que recebeu méritos da Organização Mundial da Saúde, nosso maior orgulho. Em 2014, me separei e novamente estava eu com a vida mudando. Porém, naquele momento, saía com 2 filhos de 2 anos e muito mais responsabilidades. Nesse momento pedi a Deus que me fortalecesse, afinal, tinha que ter muito discernimento para continuar a caminhar sozinha.

Após 6 meses, em 2014, surgiu um anjo na minha vida (meu atual marido) que me trouxe a paz  e a tranquilidade que procurava durante toda essa caminhada. Ele trouxe luz e muita coragem para que eu continuasse meus projetos de vida e contasse com alguém para me ajudar a cuidar dos meus filhos.

Após 8 anos no hospital que acolheu todas as minhas ideias, todos os meus sonhos em relação a projetos com mães e bebês, eu decidi que precisava me dedicar mais aos meus filhos, afinal, eles passavam um período muito maior na escola do que comigo. O tempo escorreu entre as minhas mãos e eu precisava correr atrás do “prejuízo” emocional que isso estava me causando.

Foi então que resolvi me mudar de Jaboticabal para Ribeirão Preto, a cidade do meu esposo. Ele viajava todos os dias há 3 anos para trabalhar. Pedi demissão no hospital com muita dor no coração, sentia como se tivesse ‘deixado um filho para trás’, mas, por muitos outros bons motivos.

Atualmente, tenho uma empresa dedicada exclusivamente à gestantes, mães e bebês. Sou Auriculoterapeuta, Laserterapeuta, fotógrafa e ministro cursos de gestantes, palestras; trabalho como HOME CARE e consultório em consultoria de amamentação, acompanho nascimentos e famílias nascendo. Estou na minha terceira especialização em Acupuntura Sistêmica e sinto enorme satisfação em trabalhar com tantas atividades.

Essa sou eu! Cheia de defeitos e não porque, qualidades. Pretendo continuar minha vida em movimento constante, preciso disso e preciso ajudar pessoas que não tem coragem de mudar suas vidas. Se eu não tivesse passado por tantas metamorfoses, hoje não saberia o quão bom  é ser uma borboleta.

 

Uyara Januzzi, 34 anos, mãe da Júlia e do Miguel, enfermeira obstetra que ama os filhos mais que tudo nesse mundo.

 

You Might Also Like...

6 Comments

  • Reply
    Juliana
    13 de maio de 2018 at 06:22

    Uy sua linda vc é muito especial. Obrigada por ter nos ajudado tanto cm as cólicas da Ma. Seu amor pela sua profissão transborda e contagia a todos ao redor…e esse é um dos motivos q faz vc ajudar tanto as pessoas. Beijos no coração. Ju e Ma.

  • Reply
    Uyara
    17 de maio de 2018 at 10:29

    Ju, muito obrigada pelas palavras!!!
    Eu amo a minha profissão e não me vejo fazendo outra coisa que não seja ao menos tentar ajudar as pessoas.
    Sou muito grata pela sua confiança no meu trabalho. Gratidão!
    Um beijo enorme em vocês. Obrigada sempre! 😉

    • Reply
      Juliana
      20 de maio de 2018 at 16:12
  • Reply
    Tamiris
    17 de maio de 2018 at 23:52

    Uy ,acho que posso te chamar assim neh … ficamos em falta com “aquele” cafezinho , quem sabe um dia … A vida nos surpreende entrei no blog ameiii e através de um comentário fiquei curiosa em saber um pouquinho mais sobre essa luz que vc irradia … lembro da trajetória que me permitiu conhecer pessoas tão especiais…como se fosse uma corrente de anjos interligados aqui na terra pessoas usadas por Deus para dar luz abrir caminhos e trazer paz em meio a tantas turbulências da vida …meu momento era de “medo” sim muito medo mesmo ,derrepente longe da minha mãe longe da minha família enfrentando o momento mais crítico do casamento e pum grávida mas tudo bem sou forte vou enfrentar e quando os dias foram se aproximando o caro Dr. me fala sobre a cesariana meu medo de cirurgias começa a apavorar e Deus toma os caminhos pra conhecer o lindo projeto é através de anjos conheço vc! Me dando apoio confiança e me fazendo sentir empoderada para dar à luz ao meu príncipe Oliver …triste não foi possível minha experiência foi triste foi dolorida ainda dói é como se tivesse um punhal ali se adaptando se “hospedando” sim dói ainda ,..chorei eu chorou a Jé … Que pena que você não estava lá ainda penso no quão diferente teria sido …às palavras ainda ecoam em minha mente naquele dia vc tbm enfrentou uma barra …que dia o tempo vai passando e nos vamos caminhando olho pro meu maior presente pra recompensa da minha jornada Oliver me dando tantas alegrias e me fazendo crescer ! E quando leio os últimos parágrafos …entendo…foi uma longa metamorfose a minha metamorfose e talvez eu tinha que passar por ela …talvez pq sempre acreditarei que pessoas de luz como vcs fazem toda a diferença nesse momento tão sublime de uma mulher uma parturiente e jamais esquecerei da minha doulas que teve tanta garra … mas quem sabe um dia ainda me torno uma borboleta grata beijos e muita luz

  • Reply
    Juliana
    20 de maio de 2018 at 16:12
  • Reply
    Jéssica Caroline
    22 de maio de 2018 at 09:23

    Ah minha amiga querida, não me canso de “ouvir” a sua história de vida, mas como é emocionante para mim Ler sobre ela e relembrar que em alguns destes momentos eu vi de perto acontecer.
    Sou grata à Deus por ter permitido nossos caminhos se cruzarem e ha tantos anos nossa amizade só tem se fortalescido.
    Você além de uma amiga se tornou uma mentora para mim ! que orgulho sinto em ter vc como uma amiga-irmã! Muitas vezes mais conselhos de irmã do que de amiga. Você é muito Especial !

Leave a Reply